Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Evento de abertura da colheita do tabaco reforça necessidade de defesa do setor

Publicação:

Colheita do tabaco ocorreu em propriedade de São Lourenço do Sul
Colheita do tabaco ocorreu em propriedade de São Lourenço do Sul - Foto: Divulgação/Seapdr
Por Luciana Jost Radtke/Ascom Afubra com edição da Ascom/Seapdr

Os produtores rurais Romiro Bierhals e esposa Marilda, Tiago Rutz Krolow e esposa Josiane, e Josiel Bierhals recepcionaram, nesta terça-feira (6/12), autoridades e lideranças para a Abertura Oficial da Colheita do Tabaco no Rio Grande do Sul. A solenidade ocorreu na localidade de Campos Quevedos, interior de São Lourenço do Sul, na região Sul do Estado. Nos pronunciamentos durante o evento, enfatizou-se a necessidade dos diferentes atores defenderem o setor que reúne cerca de 70 mil produtores em mais de 200 municípios gaúchos.

Para o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, é importante proteger o sistema integrado da produção de tabaco. “Que os fumicultores brasileiros possam, por várias décadas, continuar produzindo tabaco de qualidade, que nos torna, há 30 anos, o maior exportador e o segundo maior produtor”.

Ao agradecer a família anfitriã, o presidente da Afubra, Benício Albano Werner, conclamou a imprensa sobre a importância de divulgar o que representa o setor tabaco para os produtores, mas também para os municípios, estados e para o Brasil. Sobre a estimativa de produção para a safra atual – 256,7 mil toneladas de tabaco no RS (3,8% acima do cultivado no ciclo anterior) – Werner explicou a forma como esses números foram obtidos, lembrando que os números finais de produção e produtividade dependem do clima. “Nossa orientação, como entidade, sempre é de não aumentar a produção, mas, apostar na qualidade, para que possamos ter um bom preço no momento da comercialização”.

Lopes (d) falou da importância da fumicultura e outras cadeias produtivas serem reconhecidas já que são a base da riqueza do RS
Lopes (d) falou da importância da fumicultura e outras cadeias produtivas serem reconhecidas já que são a base da riqueza do RS - Foto: Divulgação/Seapdr

O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Domingos Antonio Velho Lopes, representando o Governo do Estado, lembrou a representatividade da cadeia produtiva do tabaco. “Nesse sentido, na valorização do produtor rural, temos trabalhado e vamos defender as mais de 30 cadeias produtivas do Rio Grande do Sul. Nosso Estado é agrícola. Precisamos mostrar o nosso valor e nossa importância, inclusive, no cumprimento das regras ambientais, sociais e econômicas”, disse. Lopes finalizou argumentando que é necessário se unir para construir boas soluções para todos, deixando um legado para as próximas gerações. 

O deputado estadual Elton Weber destacou que “devemos defender o setor que traz muitas divisas ao país”. Já o deputado estadual Zé Nunes, representando a Assembleia Legislativa, lembrou que o tema da cadeia produtiva é amplo. “Agora trabalhamos numa forma de estabilizar o momento da comercialização”.

O prefeito de São Lourenço do Sul, Rudinei Härter, ao citar a diversificação do município, enfatizou a relevância do setor do tabaco. “Aqui temos 3.930 famílias envolvidas com a produção. O setor também se destaca por suas ações sociais e assistência técnica das empresas e da Afubra. Com alegria, podemos declarar oficialmente aberta a colheita do tabaco aqui em São Lourenço do Sul e nas demais regiões produtoras”, declarou.

Anfitrião do evento e associado da Afubra desde 1992, Romiro e a esposa Marilda têm na filha Josiane e no genro Tiago, associados da entidade desde 2012, e no filho Josiel, a sucessão da propriedade de 29 hectares. Destes, 15% são destinados à plantação de tabaco e 43% utilizados para milho e soja. A propriedade conta ainda com benfeitorias, mata nativa e reflorestamento com eucalipto, açude, pomar e horta.

Aproveitando a Abertura da Colheita do Tabaco, SindiTabaco, Afubra, Fetag, Farsul e Seapdr realizaram também a assinatura do convênio do “Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do tabaco”. O programa incentiva a diversificação e a otimização no aproveitamento dos recursos das propriedades rurais no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e no Paraná.

Integrando o calendário de eventos do Estado, a 5ª Abertura da Colheita do Tabaco no Rio Grande do Sul foi organizada pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Afubra, SindiTabaco e Prefeitura de São Lourenço do Sul. O primeiro evento foi realizado em 2017, em Venâncio Aires; o segundo, em 2018, em Canguçu; o terceiro, 2019, em Arroio do Tigre; e o quarto, em 2021, em Vale do Sol.

Números

A produção sul-brasileira de tabaco na safra 2021/2022 foi de 560.181 toneladas, sendo 512.594 toneladas na variedade Virgínia, 41.793 no Burley e 5.794 toneladas no Galpão Comum. O Rio Grande do Sul foi responsável por 44,2% da produção do Sul do Brasil, alcançando 247.334 toneladas.

Notícias

Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação